Bem Vindo!

Lamentamos, não existem produtos no seu carrinho.

Marcha pelos Direitos dos Animais junta 30 mil  pessoas em Israel

Marcha pelos Direitos dos Animais junta 30 mil pessoas em Israel

“Compaixão, Justiça e Veganismo!”

Milhares de manifestantes reuniram-se no centro de Tel Aviv, em Israel, no sábado (09/09) para protestar pelo fim da crueldade contra animais. O evento está a ser considerado o maior protesto a favor dos direitos animais da história.

Os participantes levavam cartazes com as frases como“compaixão, justiça e veganismo!” e mensagens contra a o fim da produção de animais para consumo humano.

Shira Hertzanu, chefe de comunicação da ONG Anonymous for Animal Rights e organizadora do evento, explica que se esforçou para unir grupos de proteção animal e todo o trabalho empenhado foi direcionado no sentido de reunir um número recorde de participantes.

“Esta é a maior marcha pelos direitos animais da história. Estimamos a participação de 30 mil pessoas a exigir justiça e compaixão por todos os animais, sejam os explorados pela indústria de alimentos como os selvagens e domésticos. Todas as pessoas que participaram são bondosas e não querem que os animais sofram”, conta.

Ela foi uma das autoras da petição Let the Animals de 2015 que exigiu a criação de leis mais rigorosas de proteção aos animais. A ativista afirma que os manifestantes têm demandas muito especificas para o governo em relação ao respeito pelos animais e seu reconhecimento como detentores de direitos.

As principais pautas das ONGs e grupos abolicionistas do país são o fim da importação de animais para consumo humano e a proibição da venda de peles.

“Israel foi praticamente o primeiro país do mundo a proibir a exploração de animais pela sua pele, mas essa lei foi revogada. Enquanto isso outros países já progrediram nessa questão e queremos progredir também. Não podemos tirar a pele de animais simplesmente para enfeitar roupas”, diz Hertzanu.

Hertzanu disse que uma terceira demanda é que as multas por crueldade animal sejam mais severas.

“Há leis para proteger os animais, mas elas não são cumpridas”, lamentou.

“Sejam animais como gatos e cães, ou animais da indústria alimentar. Temos muitas investigações que mostram a crueldade nos matadouros, mas ninguém é punido. Verificamos que as punições não são suficientes; elas não estão realmente a impedir que as pessoas cometam crueldades com animais “.

A última demanda dos manifestantes é que o governo amplie o seu orçamento para a castração dos animais e institua uma política de não matar animais saudáveis nos abrigos.

Omri Paz, diretor executivo da Vegan Friendly Organization, ecoou as palavras de Hertzanu, e acrescentou que ele esperava que o protesto incentivasse as pessoas a pararem de comer carne e comprar produtos fabricados com couro e peles.

“Esperamos que, pelo menos por um dia, todo o país e toda a imprensa parem e deixem que sejam mostrados os problemas enfrentados pelos animais nas indústrias e todos os abusos que sofrem os cães, os gatos e todos os outros animais”, disse ele.

“A mensagem que queremos transmitir é a de que a decisão está nas nossas mãos e nós temos a capacidade de mudar a realidade, não é necessário que a iniciativa parta do governo”, acrescentou Paz. “Tudo é possível, desde que as pessoas estejam mais conscientes do assunto”, conclui o ativista.

Fonte:Anda

X